terça-feira, 12 de abril de 2005

Pancada no Carteado

A cada carteado, descubro quanto o Poker é um jogo ingrato. É o único jogo em que "fortunas" passam de uma mão para outra em questão se minutos! Minutos não, segundos. E ontem (dia 11/04 - preciso gravar bem esta data) não foi diferente.

O jogo começou de uma maneira tranquila. Apesar de ter perdido algumas partidas no começo, mas me segurei bem e cheguei a separar 3 cacifes! Tinha o meu inicial e mais 3 por fora. Bom, tudo ia muito bem, até Geraldo Lazzari ter pego o baralho para iniciar mais uma partida. Fui recebendo as cartas e qual não foi a minha agradável (até aquele momento) surpresa ao perceber que tinha recebido quatro barbudos, ou seja, eu tinha de mão um Four de Reis. Contive a surpresa inicial e me preparei para ganhar mais algumas fichas. Para minha felicidade temporária, Tubamar não trocou de carta. Da Periferia trocou 2 e o desgraçado do Petrônio trocou 3 cartas. Guarde bem isso. O desconjurado TROCOU 3 CARTAS. Na minha vez, para desfarçar, troquei apenas 1 de agá, pois já tinha meu super jogo pronto. As apostas começaram e o primeiro a apostar foi Tubamar, que iniciou as apostas com 10 fichas. Da Periferia pulou fora. O descomungado (Petrônio) colocou as 10 de Tubamar e mais 40 fichas. Meus olhos se encheram de alegria e, olhando para o desgraçado, proferi a célebre frase:

- É... Acho que você me pegou!

Coloquei as 10 de Tubamar, as 40 do desgraçado e mais 100 fichas. Geraldo nem esperou eu apostar direito e já correu. Tubamar espraguejando também pulou fora. Novamente, o desgraçado me olhou com aquele olhar de peixe morto querendo se passar por coitado e disse:

- Já que estou na chuva vou me molhar! Suas 100 fichas mais 1 Cacife!

Nesse instante parece que o tempo deu um stop e tudo ficou como no filme Matrix. Abaixei as minhas cartas e começei a imaginar o quê aquele espraguejado poderia ter. Pensei... Pensei... Pensei... Era pra mim só ter pago aquela porra mas, como eu disse, o tal do Poker é uma desgraça além de ser um jogo INGRATO. Pensei com meus botões: "Esse cara deve tá com um four também, mas o meu é de REI. Ele deve ter um de damas ou valetes. Vou botar pra fuder!" e num impulso mandei:

- Seu cacife, mais dois!

Coloquei praticamente tudo o que eu havia ganhado e mais o que eu não tinha naquela maldita jogada. O restante da história foi que o espraguejado pagou os dois cacifes e paralelamente foi me perguntando:

- Você tem street?
- Não! - respondi com o coração já saindo pela boca.
- Então você perdeu! - foi a resposta seca!
- Com um four de Reis? - perguntei jogando as cartas na mesa com um sorriso ainda meio tímido.
- Sim, por que o meu é de Ás!

Pude sentir o sangue saindo do meu rosto! Sob olhares perplexos dos demais da mesa que não acreditavam naquilo que tinham acabado de ver: um four de REIS e um de ÁS na mesma mão! É muito difícil isso acontecer, mas aconteceu! E a porra do four de REIS era meu e o de ÁS estava na mão de Petrônio que estava praticamente perdendo o jogo inteiro! Justamente o único jogo que ele não poderia ter, ele tinha. Em menos de 30 segundos o cara saiu de um prejuízo enorme para um vitória esplendorosa!

Por isso que eu não paro de jogar essa merda! É um jogo ingrato com quem vacila! Era para mim ter ficado pianinho e só ter pago aquele cacife. Teria perdido só um pouco e com os prêmios que receberia, tinha ficado mais ou menos na mesma! Mas não, fui ganancioso e quis ganhar mais e acabei me rasgando. Foi a pior pancada que tomei no carteado em toda a minha vida!

Ainda deu para manter a liderença do campeonato, mas creio que o espraguejado esteja logo atrás de mim e mais 1 ou 2 pancadinhas pequenas que eu tomar, ele chega no encalço e assume a primeira colocação.

Mais uma vez, como o Poker é ingrato... Como é ingrato...

Um comentário:

Geracruz disse...

Caraca, essa foi demais ! Senti cada lance como se estive ai, demais Dellas. Forte abraço do amigo Geraldo e de um abraço em todos por mim principalmente no meu irmão Petros