sexta-feira, 29 de abril de 2011

Opostos

Até que ponto os opostos se atraem? Será que esse chavão é meras palavras ditas ou tem realmente alguma coisa haver? Começo esse post com essas perguntas porque algo bem estranho (e bom) aconteceu por esses dias próximos. E, ao mesmo tempo que acho que não tem nada de mais também acho que sim, que existe e que talvez possa ser bem mais profundo do que aparenta. Não, não posso e não vou citar locais, pessoas e acontecimentos (chama o jurídico!), mas o fato é que isso está me deixando um pouco incomodado. Não, incomodado não seria a palavra correta e sim uma mistura de empolgação com alguma coisa que não compreendo. Será que isso é uma viagem? Será que está acontecendo mesmo ou, como diz a letra da música do The Cramberries, “is just my imagination”? Por causa desse, vamos assim dizer, evento é que questionei sobre os opostos. São bastante diferentes mesmo, em todos os sentidos possíveis. Não, todos não! Apenas um é comum. E esse talvez seja o mais forte: a paixão pelo silêncio. A única coisa que posso fazer por enquanto é ter paciência e deixar acontecer e ver até aonde isso pode chegar! Tem um frase de Shakespeare que diz:

Não quero pensar, não quero fazer planos, não quero criar expectativas.
Quero apenas que os dias passem.

É isso aí… Quero apenas que os dias passem e, se for realmente, então acredito que entrarei numa nova era!

domingo, 24 de abril de 2011

Páscoa

A Páscoa sempre foi pra mim um feriado um pouco estranho. Antes que a inquisição me condene a fogueira, deixa eu explicar melhor isso. Estranho que digo é que nunca entendi direito o seu verdadeiro significado. E dessa vez eu pude finalmente compreender o que significa a palavra “renascimento”! Nunca fui uma pessoa muito religiosa mas acredito em Deus e também acredito na vinda do Seu filho Jesus para nos ensinar o amor. O que fez essa páscoa ser um pouco especial é uma outra história que, sinceramente, não gostaria de escrever. É uma história triste, apesar do final ainda não ter acontecido. Mas a grande alegria é que eu finalmente começo a compreender. E como isso é algo muito legal, gostaria de deixar registrado aqui em Noites. A gente sempre ouve inúmeras histórias de páscoa, mas a única coisa que a grande maioria entende mesmo é que nessa época a gente dá ovos de chocolate e também ganha ovos de chocolate. Eu sempre gostei muito de dar ovos de chocolate. Gostava mais de dar do que receber, porque eu sabia que as pessoas que ganhavam adoravam chocolates. E ver os olhos brilhando ao receber aquela deliciosa cesta repleta de guloseimas sempre foi pra mim algo mágico e me deixava mais feliz que a pessoa que recebia! Nessa páscoa também foi um pouco diferente porque não tive ninguém para dar chocolates de presente. Quer dizer, ninguém não, pois eu também conto!Comprei um pequeno ovo quando fui da última vez comprar mantimentos e então agora há pouco comi um pedacinho do chocolate, só para não deixar passar a páscoa sem um pequeno gostinho de chocolate. Era para ter sido um feriado triste, por tudo que aconteceu e que está acontecendo, mas felizmente não foi. Foi um feriado bom, alegre, reservado e feliz. Isso é o renascer. E isso faz um bem tremendo para o nosso coração! Espero que a Páscoa de todos tenha sido tão boa quanto a minha!


quarta-feira, 13 de abril de 2011

Fizeram-nos Acreditar

Não nos contaram que o amor não é acionado, nem chega com hora marcada.
Fizeram-nos acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade.
Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém na nossa vida merece carregar às costas a responsabilidade de completar o que nos falta.
Nós crescemos através de nós mesmos. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável.
Fizeram-nos acreditar numa fórmula chamada "dois em um": duas pessoas pensando igual, agindo igual, que era isso que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável.
Fizeram-nos acreditar que o casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos.
Fizeram-nos acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são caretas, que os que transam muito não são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto.
Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto.
Fizeram-nos acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade.
Não nos contaram que essas fórmulas não dão certo, frustram as pessoas, são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas. Ah, também não nos contaram que ninguém nos vai dizer isso.
Cada um vai ter que descobrir sozinho. E aí, quando estiveres muito apaixonado por ti mesmo, vais poder ser muito feliz e apaixonares-te por alguém.
John Lennon
Fizeram-nos acreditar que amor mesmo, amor a sério, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos.
Ps.: Achei esse texto por aí… Navegando… Não sei se o autor é mesmo John Lennon mas, de qualquer forma, deixei os créditos como os achei! Não tive como não publicá-lo aqui!

terça-feira, 12 de abril de 2011

Parede




Wysiwyg!