quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Vivendo com a Maçã - Parte 1 / 3

Já faz algum tempo que estou com meu MacBook - Maria Catarina, para os íntimos :) - e já posso escrever algumas impressões e detalhes sobre a utilização no meu dia-a-dia. Bom, para começar não posso deixar de comentar um acontecimento recente. Praticamente na mesma época que adiquiri meu MacBook, um aluno meu também comprou um notebook da Dell. Muito bonita a máquina, com processador Core 2 Duo, 2 Gigas de Ram, tela de 17", enfim, um notebook super atual (detalhe que babei: até saída HDMI ele tem; dá pra ligá-lo em um dos meus brinquedos facilmente)! Continuando, estávamos eu e ele começando vida nova com novos computadores. Terça-feira passada ele chegou na aula e me disse:

- Tive que formatar e reinstalar o Windows no meu notebook! Entrei num site para baixar um programinha e a droga do programa detonou meu Windows Vista! Só resolvi o problema formatando e reinstalando tudo novamente. Perdir umas 3 horas fazendo todo esse processo!

E eu (com um sorriso imbecil na face) não pude deixar de retrucar:

- Pois é... Já instalei trocentos programas no meu Mac. Já mexi em tudo quanto é configuração, já alterei (e fucei) em tudo que você possa imaginar e ele continua a se compotar exatamente como quando eu comprei: rápido, eficiente e bonito! :)

Só por esse incidente já dá para perceber claramente a diferença entre um Macbook rodando o Leopard e um notebook rodando o Windows Vista! Isso eu percebir logo de cara. Como era um "brinquedo novo", então a minha ávida busca por programas e recursos iriam fazer com que eu instalasse (e também removesse) muita coisa do Mac! E mesmo depois de instalar/desinstalar bastante programinhas - e também programões -, o Mac continua se comportando igual quando eu o comprei. Diferente do Windows Vista que vai ficando gordo, lento, pesado, com o registro recheado de inutilidades até o dia em que você não aguenta mais a lentidão e tem que formatar e instalar tudo novamente (e perder um dia inteiro de trabalho)!

Bom, mas vou deixar isso para um outro momento e vou falar um pouco do meu dia-a-dia usando o Mac. Praticamente tudo que tenho no meu PC também tenho (similar e, obviamente melhor) no Mac! Excluindo-se alguns joguinhos e minhas ferramentas de desenvolvimento, do resto eu tenho tudo. Mas mesmo os programas que não existem para o Mac (como o Delphi, por exemplo) eu tenho como rodá-los tranquilamente! Como? Este é um dos grandes e novos diferencias do Mac! Como agora os mesmos são equipados com processadores Intel, isso quer dizer que posso executar o Windows tranquilamente, criando uma partição à parte do Leopard e instalando nela o Ruíndows! :) Usando o Bootcamp, posso ter o Leopard e o produto de Redmond no mesmo computador! Mas, pensando bem, comprar um Mac para executar o Windows é como comprar uma Ferrari para rodar de casa até a sua roça que fica lá no Patrimônio da Lagoa e também seria um "ó" ter que ficar aturando as piadas do Renato Ferrão! Então partir para uma solução mais elegante. Instalei um show de programa chamado Parallels e agora eu tenho uma versão do Windows dentro do meu Leopard! Simples, eficiente e o que é melhor, funciona! Os dois SO funcionam - literalmente falando - lado a lado! Posso arrastar um arquivo do OSX para o Windows simplesmente arrastando mesmo, sem metáforas! Nesse meu "Windows embutido", pude instalar todos os programas que existem para PC e não possuem similares para o Mac!

Agora falando de aplicações nativas, um usuário comum praticamente não precisa de mais nada quando adiquire o OSX. De ínício, temos o Safari, um navegador para a web que é muito mais rápido que o IE7 e o excelente Firefox. Aliás, o Firefox possui uma versão para o Mac (ao qual recomendo ter instalado para efeitos de compatibilidade de alguns sites)! Mesmo para quem usa o Windows, também recomendo o Firefox. Mas voltando ao Safari, o navegador é muito bom e não deixa nada, absolutamente nada a desejar dos seus concorrentes! Inclusive tem uma versão para o Windows. Também junto do Leopard, existe um conjunto de aplicativos chamado iLife, que inclui um software para gerenciamento de fotos (iPhoto), criação/edição de vídeos (iMovie), criação/edição de músicas (GarageBand), criação/edição de DVDs (iDVD) e criação de sites (iWeb). Todos esse produtos se integram de uma forma tão transparente ao Leopard que temos a impressão que eles foram criados juntos. Por exemplo, você pluga uma câmera digital no Mac e o iPhoto já aparece informando um novo dispositivo e se encarrega de pegar todas as fotos que estão na câmera para você. Depois de organizá-las, você pode rapidamente abrir o iWeb e criar e publicar um site com as fotos de uma maneira rápida, simples e bonita. Praticamente eu fiquei quase que 1 mês só conhecendo os recursos desses aplicativos. O GarageBand é algo a parte. Vou escrever um post somente sobre música e Macintosh e você vai descobrir por que o Mac é um computador singular. De início, adianto que o mesmo é um software fantástico. Não existe nada similar ao PC que chegue perto da facilidade e do poder desse software! Bom, junto com OSX existe um "pacote" de programas de produtividade fantástico. Agenda de contatos, bloco de notas, calendário, leitor de e-mail, visualizador de documentos, player de música. Tudo integrado ao OSX e pronto para usar. Nada de perder tempo ajustando detalhes desses aplicativos. É o que os comerciais da Apple dizem: É ligar e usar!

No próximo post vou comentar mais sobre esses aplicativos nativos e o uso deles e de outros programas no meu dia-a-dia.

Nenhum comentário: