quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Tempo … Novos



Há quem tenha divagado desse jeitinho do outro lado do Atlântico: 
Cansado de deitar-se à luz do sol e ficar em casa observando a chuva
Você é jovem, a vida é longa, e há tempo para matar hoje.
E um dia, depois, você descobrirá que dez anos ficaram para trás.
Ninguém lhe disse quando correr, você perdeu o tiro de partida...
E concluído magistralmente assim: 
E você corre e corre para alcançar o sol, mas ele se põe
E gira ao seu redor para renascer às suas costas novamente.
O sol é o mesmo, de uma maneira relativa, mas você está velho
Com menos fôlego e um dia mais próximo da morte
Pra mim, o que acontece por esses dias foi dito aqui mesmo:
Só quero saber do que pode dar certo
Não tenho tempo a perder.
E tomo esses versos emprestados – segundo Neruda, pode! - para concluir assim: 
Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo...

Nenhum comentário: