sábado, 24 de maio de 2014

Vanilla Sky

Cada minuto que passa é uma chance de mudar tudo!


Esses dias atrás, pela “enésima” vez, eu assistir ao surpreendente Vanilla Sky. O filme de Cameron Crowe é um drama que se passa na cidade de Nova York, relatando flashes da vida de David Aames, interpretado por Tom Cruise. Aames é um playboy que tem tudo que a maioria dos homens deseja na vida: dinheiro, poder, sucesso e beleza. E unindo todos esses atributos, não preciso nem comentar que ele tem na cama todas as (belas) mulheres que deseja. Porém, como nem tudo são flores (mesmo tendo de tudo e mais um pouco), David se envolve com Julie Gianni (Cameron Diaz) e ela deseja ter mais com ele do que um mero envolvimento sexual. Ao perceber que ele estava se apaixonando pela esquisita Sofia Serrano (Penélope Cruz), Julie convida David para um passeio e uma conversa no seu carro. Em seguida ela tem um ataque de ciúmes misturado com raiva e joga o carro de um viaduto. Ela morre e ele consegue se salvar, mas fica em coma profundo por três semanas e quando desperta percebe que ficou com o rosto todo desfigurado. Daí em diante, realidade e fantasia se misturam na tentativa de David de voltar a ter a vida que tinha antes e de reconquistar a mulher ao qual estava se apaixonando até chegarmos a um final surpreendente que não vou contar para não estragar a surpresa de quem ainda não assistiu.
Na primeira vez que assistir Vanilla Sky eu tive um ataque de pânico e ansiedade muito grande quando o filme terminou. Lembro que assistir sozinho e quando acabou e os créditos ficavam passando na tela, eu viajei muito, mas muito mesmo em tudo aquilo. Fiquei uns 40 minutos parado sem reação olhando para a TV com um milhão de pensamentos desfilando pela minha cabeça. Não sei porque eu fiquei assim. Veja bem, não é nada em se tratando do filme em si. As pessoas assistem a um filme de terror, por exemplo, e depois não conseguem dormir com medo. Não é nada disso. Simplesmente eu viajei na história de um cara que tinha uma vida perfeita em todos os sentidos e, de repente, tudo muda de um momento para outro, em questão de segundos. Hoje eu acredito que foi isso que me deixou – e ainda me deixa - tão perturbado quando o assisto. Em como a vida da gente pode mudar rapidamente. E que muitas e muitas vezes são envolvimentos que fazem essas mudanças. Portanto, é bom pensar bem, mas bem mesmo antes de entrar e mudar a vida de alguém ou deixar que alguém entre e mude a sua, porque você pode ter e perder tudo em questão de instantes. E ainda tem mais uma coisa… Mas isso só vou falar em outra vida, quando formos gatos!


Um comentário:

Aline Santos disse...

Não entendo a química que tenho com esse filme. Ele é surpreendente. O melhor filme que já vi. É aquele tipo de história na qual você não consegue parar de pensar. Você não sabe se fica triste ou feliz. Sei lá! É inexplicável o sentimento que tenho ao pensar neste filme.