segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

Conversas de Elevador...


É cada coisa que acontece com a gente que se contar ninguém acredita! Como a ABC está na sua nova sede, agora temos que usar elevadores! Tudo bem que é só um andar e às vezes ir pelas escadas é mais rápido, mas a preguiça fala mais alto. É interessante o tipo de conversa que a gente ouve e as coisas que acontecem! O pior mesmo é quando se adentra com apenas uma pessoa nos elevadores e aqueles 10 segundos até o nosso andar parecem uma eternidade e então vem aquela celebre frase quando o olhar se cruza com o estranho: "Mas tá quente, né?" Se for com alguém simpático dá até para estender um pouco o assunto, mas tem gente que, definitivamente, eu prefiro ficar no meu mais profundo silêncio e me limitar a olhar para o displayzinho que mostra o elevador subindo ou descendo! Além do breve comentário sobre o tempo, o que mais se diz num elevador para pessoas estranhas? Fiquei a imaginar uma lista de possíveis frases rápidas e diretas e não consegui lembrar de mais nenhuma, além da famosa sobre o tempo, que tá quente, ou que tá fresco ou que tá frio!
Mas complicado meeesmo é quando se entra com um grupo de 5 ou 6 pessoas, sendo que uma delas está com o desodorante vencido! É uma experiência complicada e você tem que ter um auto-controle da respiração muito grande, uma apnéia forçada! Ainda bem que o meu andar é logo o primeiro, pois se fosse o teceiro ou o quarto eu chegaria lá em cima já desmaiando, pois não dá para segurar muito! Acha engraçado? É porque você não precisa passar por esse tipo de situação! Hoje mesmo aconteceu algo que é no mínimo engraçado, se eu não tivesse ficado com pena da senhora. Entrou no elevador eu e uma senhora aparentando uns 60 ou 70 anos! Como eu desço logo em seguida, mal o elevador abriu a porta e ela disse meio assustada:
"Ah, meu filho, não desçe não... Sobe comigo até o meu andar pois eu morro de medo de andar nesse troço sozinha..."
Eu fiquei ali meio paradão olhando aquela senhora e tive que ficar e ir com ela até o próximo andar e depois voltar a descer para o meu! Situações como essas estão sendo normais nos meus dias de trabalho! Pelo menos eu fiz minha boa ação do dia! :)
E dar informação? No prédio onde trabalho parece uma filial enrrustida da OAB, tamanha a quantidade de advogados que ferram, digo, trabalham ali... E sempre tem aqueles que perguntam: "Sabe onde fica a sala do "adevogado"? Aí só um sorriso mesmo e a resposta: "Cara, existe uma penca de advogados aí... Se você me disser o nome da peça talvez eu possa lhe ajudar"! Como se eu não soubesse a resposta: "Ah moço... Não sei não! Me disseram que o "adevogado" é aqui neste prédio! Acho que o nome dele é doutor Josecleson ou Josecleverson!"
Sinto que esse ano ainda terei boas histórias (ou estórias) para contar aqui! Ainda não tive (ufa!) o desprazer de ficar preso por falta de energia! Só rezo para que, quando isso acontecer, eu esteja dentro com alguém, digamos, interessante! ;)

Nenhum comentário: