terça-feira, 24 de abril de 2007

Comando IF

O comando IF ("SE" traduzindo para o tupiniquim) é um comando usado em várias linguagens de programação quando se tem alguma decisão a ser tomada no fluxo do programa. Por exemplo, imaginemos uma situação onde um certo usuário vai digitar a sua idade e o programa vai decidir se ele pode ou não fazer uma espécie de avaliação. Para tal exemplo vamos usar a seguinte regra:

  • Se o usuário tiver menos de 16 anos, não pode fazer a avaliação;
  • Se tiver 16 anos ou mais, então pode fazer;
Veja como isso ficaria em Pascal:

Program Avaliacao;

Var
Idade : Integer;

Begin

WriteLn('Programa Avaliação');

WriteLn('Por favor, digite sua idade:');

Read(Idade);

If ( Idade < 16) Then
begin

WriteLn ('Desculpe, mas você não tem idade para fazer a avaliação!');
WriteLn('Tente novamente daqui há alguns anos!');

end
else
begin

WriteLn ('Ok! Você pode fazer a avaliação');

end;

end.


Na linha onde se lê IF (IDADE <> 16) Then é onde tudo é decidido. A tradução aqui seria algo mais ou menos assim: "Se a idade digitada pelo usuário for menor que 16 então diga que ele não pode fazer o teste, senão diga que ele pode, pois se a idade não for menor que 16, então é maior - isso é lógica, né? :) !

Bom, por que estou dando essa pequena "aula" de programação? Agora há pouco estava literalmente programando e entrei num emaranhado de comandos "IF's" e viajei na rotina. Mas viajei muito mesmo! Viajei em como a nossa vida funciona como um programa e como os IF's da vida fazem toda a diferença. A todo momento nosso fluxo de execução chega a certas decisões e mesmo às vezes sem termos lógica nenhuma, nosso processador principal decide e então continuamos a seguir o fluxo. Muitas vezes contra a nossa razão e levados por simples emoções tomamos decisões erradas e então nos arrependemos pelo resto de nossas vidas. A única diferença de programas computacionais para nosso programa de vida é que na vida não podemos executar o código novamente. Num computador, podemos executar o programa quantas vezes for necessário e então vemos a execução de ambas as formas. No exemplo acima, posso executar e digitar 15 anos e logo em seguida executar novamente e digitar 20. Na vida, as decisões são únicas e não temos uma "segunda chance"! Lembro que, quando eu jogava Poker constantemente com alguns amigos, sempre que alguma rodada terminava tinha sempre um que desabafava: "Se a dama de copas tivesse entrado eu acabava com você"! E por diversas vezes eu também ouvia que na vida e no Poker, não existe "SE"... Naqueles momentos eu achava que isso era verdade. Bom, pelo menos no Poker continua sendo, mas na vida não! Na vida, o "SE" existe sim e dependemos muito dele. Temos que saber tomar nossas decisões sabiamente para poder continuar bem nossa viagem neste enlouquecido planeta. Às vezes eu tenho alguns flashbacks de decisões que tomei e que tomaram e fico a imaginar o que teria acontecido se o fluxo fosse o outro e não o que foi tomado. Nesse carnaval passado, por exemplo, e se não tivesse acontecido algo que marcou para sempre a minha vida? E se eu não tivesse "tomado todas" naquela terça-feira? E se a noite não tivéssemos assistido ao Pulse juntos? ;) E se uma decisão que já havia sido tomada não tivesse sido "abortada" depois de ver David Guilmour tocando? E se eu não tivesse tomado certa vez uma decisão de fugir, de ir embora? São perguntas que certamente não terei respostas, mas a única certeza que tenho é que tomei as decisões certas, mesmo sem saber o que me esperava.

Um comentário:

SACANITAS disse...

os se's neh?

uma coisa eu sei, eh melhor se arrepender de ter feito! ;)

beijo lindo!
.
.
.