quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Conteúdos



Com o advento das redes sociais da vida, principalmente a tal do Facebook, as pessoas passaram a se comunicar mais, se interligando com amigos, parentes e até desconhecidos. Mesmo estando a quilômetros e mais quilômetros de distância ou então a poucos metros, com uma simples consulta ao perfil de um contato pode-se saber como está a vida do moribundo. Segundo a Wikipédia, uma rede social é uma estrutura social composta por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que partilham valores e objetivos comuns. Portanto, o objetivo de uma rede social é conectar pessoas com interesses em comum e COMPARTILHAR conteúdo. É isso, meu nobre amigo, COMPARTILHAR CONTEÚDO! CONTEÚDO! Porém, cada vez que acesso o Facebook o que mais vejo é uma enxurrada de besteiras conteúdo que, sinceramente, se houvesse um filtro para isso (alô Zuckerberg), iria tudo, mas tudo mesmo para o recycle bin!
Eu simplesmente não consigo entender porque cargas d’água alguém imaginaria que os seus contatos querem saber que você foi ao banheiro fazer cocô e que depois foi para o buteco na esquina comer um torresmo e tomar uma jurubeba! São contatos que não tem absolutamente nada o que dizer, mas querem estar presente e então escrevem qualquer coisa. Tipo assim:
PARTIU BANHEIRO FAZER COCÔ.
PARTIL BUTECO DO ALENCAR COM JOSECLEVERSON PARA TOMAR JURUBEBA.
Não vou entrar em detalhes dos erros de português (antes que alguém comente alguma coisa, o erro de português acima foi proposital!). Vou me atrelar ao conteúdo. Pois é, ainda me pergunto porque alguém acharia que as pessoas tem interesse em saber desses detalhes medíocres e sórdidos da vida dos seus contatos! Agora, a coisa pode ficar bem diferente quando você consegue adicionar um conteúdo a mensagem. Quer um exemplo?
Gente, fui ao banheiro passar um fax de Chicado para Boston e descobri que não posso mais comer doritos com creme de bacon! Tive a impressão que comi vidro no dia anterior!
Olá meus amigos! Eu e meu brother Josecleverson estamos indo para o Buteco do Alencar tomar uma jurubeba. Para quem não sabe a jurubeba do Alencar é a melhor da cidade. Vale com certeza os R$ 0,25 centavos! E se você ainda comer um torresminho, putz… Fantástico! Se alguém tiver a fim, aparece lá para tomar uma com a gente e ouvir o último sucesso do Júlio Nascimento!
Percebeu a diferença? No primeiro caso, eu simplesmente disse que ia fazer cocô ou então que ia a um buteco tomar beber alguma coisa. Já no segundo, eu explanei melhor a situação, colocando conteúdo e, consequentemente, enriquecendo a mensagem para quem ler o que você escreveu. Tá, tudo bem que mesmo com conteúdo, o assunto referente a “fazer cocô” não é muito interessante, mas acredite, eu conheço gente que se interessa por esse tipo de coisa e até fotografa as suas obras. Eu até já escrevi sobre isso aqui mesmo em Noites, no post chamado Epopéia de uma cagada! Bom, mas voltando ao assunto sobre conteúdo, quando as pessoas passarem a publicar coisas mais interessantes, com certeza os seus contatos também começarão a achar o autor interessante! Você já teve a dolorosa experiência de estar sentado em um bar conversando com alguém que só sabe dizer besteira e que não tem a mínima ideia do que esteja acontecendo com o mundo? Pois é, isso é péssimo. E nas redes sociais o sentimento é o mesmo quando você tem um contato que não posta nada de interessante.
Uma outra coisa que a maioria acha um porre são aqueles contatos que pensam que o Facebook é, como diz um professor amigo meu, um consultório sentimental. Vivem colocando mensagens relacionadas a amores perdidos ou achados, que procuram um grande relacionamento ou que o(a) desgraçado(a) é um(a) mother fuck! O pior é que, se a mensagem fosse diretamente para a pessoa, seria até interessante acompanhar esses casos, que a gente vê muito em novelas ou filmes. Mas o autor geralmente costuma “ocultar” o sujeito ou sujeita para o qual a mensagem foi direcionada. Então fica uma coisa assim, sem graça e sem sentido para quem ler. Pessoas mais próximas podem até saber o que está se passando pelo pobre maltrapilho, mas para todos os outros 99% de contatos, fica-se com aquele pensamento: “Porra, mas que chato isso!” É aquela máxima: muda-se o tempo, muda-se o cenário, muda-se as personagens, mas a história é sempre a mesma. Ninguém quer saber se o seu ex te deixou a ver navios ou não! O mundo anda muito ocupado para que você fique se lamentando. Qual seria a ideia por trás de postagens assim? É fazer os outros sentirem pena de você? É mostrar o seu sofrimento ao mundo? Pelo amor de Deus, estamos em 2011 e você ainda acha que isso cola? A não ser que você queira que “alguém” saiba que você agora está sozinho(a). Mas então, meu caro, seja direto e envie uma mensagem para esse “alguém”! Veja bem, não estou querendo dizer que não se deve postar nada relacionado ao amor. Não, não é isso! Pode e deve sim publicar coisas bonitas. O que estou dizendo é conteúdo, meu caro, conteúdo. Se você não tem nada de interessante para postar em relação ao seu último (ou atual) relacionamento, simplesmente altere o seu status para SOLTEIRO(A) e siga sua vida!
Pra terminar, vai uma dicazinha simples para você que se identificou com esse texto. É algo que já foi dito a muito tempo por alguma personalidade cujo nome não me recordo: “Se você não tem nada de interessante para dizer, mantenha sua boca fechada! É muito melhor ficar em silêncio e deixar que outros pensem que você é um imbecil do que abrir a boca e então todos terem certeza que de fato você é!”

Um comentário:

GRACI COSTALONGA disse...

gostei imenso!!!