sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Minha Vida iPad



Hoje praticamente faz 1 mês que comprei o meu iPad, da Apple. Confesso que fiquei com uma “dor de corno” danada quando ele chegou, tanto que demorei uns 3 ou 4 dias para ativá-lo. Foi meio que um presente de Natal pra mim, visto que não ganho nada de ninguém mesmo, então resolvi me presentear com o gadget do momento. Agora que toda essa algazarra de fim-de-ano passou e a vida está voltando ao normal, vou comentar um pouco sobre as minhas impressões acerca do tablet.
Como disse Steve, de fato é um “dispositivo mágico e revolucionário!” Não tem como não se encantar com o mesmo ao começar a usá-lo. E olha que praticamente ele não vem com nada instalado, a não ser umas aplicações do próprio sistema, como e-mail, mapas, player de música, navegador web, etc. Depois de ativá-lo junto a Apple usando o iTunes, comecei a garimpar na App Store por bons aplicativos que justificassem a fama e o sucesso do tablet. Instalei um aplicativo para acesso a redes sociais (todas) e também um outro para mensagens instantâneas. Na mesma levada também instalei um leitor de RSS e um agregador de notícias. E aí então que o meu encantamento ficou maior. Geralmente, quando eu chego em casa do trabalho, se quisesse me manter informado e antenado (on-line) com o mundo, teria que deixar o Macbook ou o Sony Vaio ligado. E, mesmo sendo máquinas extremamente rápidas, ainda sim existe todo aquele processo de ligar, esperar o sistema operacional entrar, aguardar a conexão com a internet, executar o programa desejado, etc. No iPad isso não ocorre, pois ele já está praticamente ligado! Basta apertar um botão, deslizar um dedo e pronto, já estou em contato com tudo e com todos, de uma forma muito, mas muito rápida e simples. Ao iniciar meu dia, em questão de 10 minutos (na cama mesmo), já leio meus e-mails e já me planejo, baseado no meu calendário. Falando em calendário, agora sim, minha conta no serviço MobileMe da Apple está valendo a pena. Meus calendário e contatos são totalmente sincronizados entre o iPhone, o Macbook, o PC do escritório e agora também o iPad! Isso é ótimo, pois posso agendar um compromisso no computador no escritório ou na rua usando o iPhone, por exempo, e onde estiver eu serei avisado do mesmo, pois sempre estarei ou com o iPhone próximo ou com o iPad! O agregador de notícias também é um show à parte. Como leio bastante blogs, sites de notícias e outros variados, coloquei tudo nesse programa e ele meio que arruma tudo em blocos horizontais. Em questão de minutos passo os olhos e vejo tudo que foi postado nos sites que acompanho, de uma forma muito simples. Quando me interesso por alguma matéria, um toque e a mesma é exibida normalmente. O que isso tudo significou de início para mim?!? Bom, a primeira coisa foi que não ligo mais meu computadores em casa. Simplesmente eles estão em cima das mesas somente de enfeite ou como peso para papel. A praticidade do iPad é muito, mas muito grande mesmo neste quesito. Fora a questão da mobilidade. É muito mais rápido e prático carregar o iPad do quê um notebook, além do que é muito mais simples usá-lo em qualquer lugar.



Como um leitor de livros eletrônicos, o iPad também é muito bom. Antes de conhecê-lo ao vivo e em cores, não conseguia imaginar alguém lendo livros digitais, pois a experiência de ler num notebook na cama é algo meio que frustante. Bom, instalei o aplicativo para livros e fui dar uma garimpada na loja on-line. Como só achei títulos estrangeiros, deixei isso meio que de lado. Então, na semana passada, encontrei um site onde são disponilizados centenas de livros em português formatados para o iPad. Não preciso nem dizer que peguei quase que todo o acervo do site. Instalei logo uns 50 livros. A estréia foi com “O Príncipe” de Maquiavel e posso dizer que a minha experiência de leitura foi a melhor possível. Uma coisa que achei muito legal é que o iPad ajusta o brilho da tela automaticamente para facilitar a leitura, então, num quarto escuro ou com pouca iluminação ele deixa o brilho da tela bem fraquinho para não cansar os seus olhos. Eu li durante 3 horas seguidas sem que meus olhos chiassem. Uma coisa que eu gostei muito é que durante a leitura você pode rapidamente criar notas em determinados trechos e inserir comentários e depois verificar tudo num único lugar. Muito bom para estudos, pois você pode ir assinalando o que é importante no texto. A outra vantagem é, mais uma vez, a mobilidade. Ou seja, para onde você for, seus livros vão junto.




Detalhe: não posso deixar de comentar sobre a versão eletrônica do livro Alice no País da Maravilhas de Lewis Carroll. A versão do iPad é indescritível. Só vendo mesmo para você sacar como serão alguns livros no futuro. Veja no pequeno vídeo abaixo uma amostra, para você ter ideia do que estou dizendo:

No quesito diversão, o iPad também é mágico. Instalei alguns joguinhos muito divertidos, como o famoso Angry Birds e o Cute The Rope. Jogar no iPad é uma ótima experiência, mesmo usando a tela touch como controle. E não pense que são jogos bobos não! Existem jogos com uma qualidade gráfica fantástica! Volto a falar da praticidade de uso do mesmo. Em qualquer lugar que você estiver, rapidamente você pode ter acesso a centenas de jogos (on-line ou não) para poder se divertir. Estando, por exemplo, numa sala de espera, nunca mais você terá que ficar lendo aquelas revistas de 6 anos atrás ou então aquele jornal da semana passada. Simplesmente saque o iPad, carregue um game e divirta-se até ser atendido! Um jogo que instalei e que gostei muito é o famoso jogo de tabuleiro Risk (chamado de War aqui no Brasil)! O legal é que você pode jogar on-line com várias pessoas. Ah, existem versões eletrônicas dos jogos de xadrez e de damas. Pode-se jogar contra o computador ou então contra centenas de jogadores on-line!




Profissionalmente também o iPad pode ser bem útil. Instalei nele o Keynote, mais ou menos um powerpoint para o tablet. Enquanto o mesmo era baixado, eu fiquei imaginando como seria criar toda uma apresentação usando o mesmo? Confesso que não vi muito sentido e fiquei curioso para saber a usabilidade. Depois de instalado, executei o aplicativo e fiquei encantado com a facilidade de uso. Você cria a apresentação com um simples clique, ou melhor, toque. Insere textos, animações, músicas, fotos rapidinho. Depois arranja tudo com os dedos, move pra lá, puxa aqui, alinha aqui e pronto! Têm-se uma excelente apresentação em poucos minutos. Para eu que sou professor vai ser o máximo! A Apple fez um excelente trabalho ao migrar sua suíte de aplicativos de escritório para o Ipad. O Pages (editor de textos) e o Numbers (planilha eletrônica) ficaram ótimos. A usabilidade ficou perfeita. Só para escrever é que um teclado faz falta. Mas aí pode-se comprar um tecladinho sem fio (tem vários por aí) e usar junto, quando precisar escrever longos textos!
 



Bom, além disso tudo que já comentei, você tem ainda mais de 300 mil aplicativos para o mesmo. Seja lá em qual área você trabalha ou seus hobbies, com certeza você vai encontrar um aplicativo para te facilitar a vida. E olha que nem falei nada da parte musical: Players de áudio e vídeo, redes sociais musicais (como o Ping! e a Last FM), aplicativos para DJ’s, instrumentos musicais, aplicativos de criação, enfim, uma infinidade de recursos a um toque do seu dedo!

Bom, concluindo, só posso dizer que o iPad é mesmo mágico e revolucionário, como disse Steve. É um dispositivo que, quando você começa a usá-lo, não larga mais. Ele passa a te acompanhar e fazer parte do seu dia-a-dia! O meu eu não largo mais, nunca mais! Nunca não, aliás, só para o iPad 2, que a Apple lança agora em abril! :)


Nenhum comentário: