domingo, 30 de julho de 2006

FDD - Log de Viagem

Sexta-Feira, 28 de Julho de 2006 - A Viagem

Linhares - 06:00 AM
Saímos de Linhares com destino a Piracicaba, São Paulo para participar do Firebird Developers Day! A viagem foi tranquila até Vitória. Só paramos uma vez para abastecimento em Ibiraçú, pois a gasolina é mais barata por lá. Não houve incidente algum nesse trajeto, exceto por Senador balangando comigo "para ir mais rápido, senão perderíamos o voô".

Vitória - 09:10 AM
Estávamos devidamente instalados e acomodados no voô 4799 da Gol com destino a Congonhas, São Paulo. Mesmo sendo tranquilo, não tem como a gente não ficar apreensivo na decolagem do boing, mas foi tudo maravilhosamente bem. Também (graças a Deus) não houve incidente algum, exceto algumas pequenas turbulências, que são normais nesses tipos de viagens!

Aeroporto de Congonhas - 10:20 AM
Já com os dois pés no chão (ufa!) e depois de ter avisado a famílias/namoradas/parentes que já estávamos em Sampa e ter tomado um delicioso café expresso, começamos a dicidir o que faríamos: se iríamos de Táxi para o Terminal Rodoviário Tietê e ir de buzão para Piracicaba ou então alugar um carro! Fomos até as locadoras e começamos a fazer uma "pesquisa" de preços, custos e benefícios. Chegamos a conclusão que realmente deveríamos alugar um carro, pois ficaria mais barato, além da praticidade em mobilidade que teríamos. Conseguimos alugar um carro e também reservamos um quarto num hotel próximo ao aeroporto, pois retornaríamos no próximo dia à noite e não iríamos ficar igual a dois valetes de copas a noite inteira lá.

São Paulo - 11:30 AM
Já a bordo de um Celta Azul 2006 com placa de Palmas - Tocantins, começa de fato a primeira parte da aventura. E agora? Como chegar a Piracicaba? Conversamos com o pessoal da locadora e eles criaram um roteiro que, segundo eles, "era infalível" e não tinha como errar. O fato foi que tentamos seguir o mesmo. O resultado foi que estávamos indo para um lugar completamente diferente do que queríamos e a cada informação solicitada aos amigáveis paulistas, era um tal de "Marginal Tietê" pra lá, "Rodovia dos Bandeirantes" pra cá, que teríamos que chegar a Rodovia Anhaguera, enfim, quanto mais informações pedíamos, mas perdido a gente ficava. Quem dirigia o carro era Senador e em dados momentos eu vi ele louco, com a boca entre-aberta e o beição seco! Logo ele que sempre "planeja tudo" nos mínimos detalhes se via completamente perdido em plena São Paulo! E aquele "muvucão" de carros indo e vindo, caminhões buzinando e motoboys tirando tinta do nosso carro! Uma verdadeira loucura! :) Até que num "farol", perguntamos a um motorista de caminhão se estávamos no caminho certo para a Rodovia Anhaguera ele disse: "- Me segue que estou indo para lá também!"... A partir daí foi só alegria! Em diversos momentos, Senador comentava: "- Deveríamos ter comprado um mapa!!! Atravessamos Brasília inteira com um mapa na mão sem problemas!" e eu sempre proferia: - "Certo... Certo... Certo..."! :)

Osasco - São Paulo - 13:30 PM
Bom, já na rodovia correta e após se certificar umas 5 vezes que realmente estávamos no caminho certo, resolvemos parar para almoçar. São Paulo tem diversos, muitos, vários bons restaurantes e Senador escolheu um que era uma parada de carreteiros. Nada contra o lugar, exceto pela sujeira nas mesas e cadeiras. A comida até que era boa e barata para os padrões que estávamos acostumados. Comemos bem... Eu optei por coisas mais leves, mas Senador entrou fundo no churrascão mesmo e comeu até carne de Javali, que segundo ele, "é meio diferente"...
Daí em diante, seguimos a Rodovia Anhaguera, que por sinal é excelente... Existem trechos que tem até 4 pistas e a velocidade média permitida é de 110 Km/h, o que fez com que adiantássemos bem a viagem... O lado ruím é que a rodovia foi privatizada e você paga em média R$ 5,00 de pedágio. De São Paulo a Piracicaba passamos em 3! Passamos também por várias cidades e ficamos "de cara"! Quem não conhece imagina as cidades do interior de São Paulo são pequenas... Lerdo engano... A maioria das cidades são muito bem desenvolvidas... Campinas então é muito, mas muito grande mesmo! Sumaré e Jundiaí também são enormes.

Campinas - São Paulo - 16:30
Fizemos uma segunda parada numa lanchonete para chicletes/cigarros/bebidas, etc... Essa já era um pouco diferente da última que paramos, para almoçar... Pouco não, muito diferente... Diversas "coisas" que não somos acostumados a ver, como pães, biscoitos, doces me encheram os olhos! Só tomei mesmo um suco de Acerola que estava horrível! Parecia aqueles "Q-Suc", no envelopezinho pequeno! Na saída do local, ainda perguntamos a um coroa estilo Hippie numa Harley Davidson se estávamos no caminho certo (mais uma vez) para Piracicaba... O coroa foi bem simpático e confirmou que sim! Foi a partir daí que também começamos a ouvir aquele sotaque inconfundível do inteiror paulista, que "força" o erre no final das palavras... hehehehe :)
Mais uns 50 Kilômetros à frente, saímos da Rodovia Anhaguera e pegamos uma rodovia para Piracicaba... Daí foi só acompanhar as placas e pouco menos de 1 hora já estávamos chegando na cidade do evento!!! Ufa... Chegamos.....

Piracicaba - São Paulo - 17:45
Próxima etapa, achar o tal do Bristol Center, onde tínhamos uma reserva! Logo na chegada, paramos num barzinho em frente a um posto em obras (esse posto foi fundamental pra gente mais tarde) e fomos perguntar ao barmam como chegar ao hotel! Cara, ele nem sabia da existência desse hotel na cidade. Mais a frente, perguntamos a um gordinho em sua caminhada de fim-de-tarde e ele explicou muito bem pra nós onde ficava o Bristol. Seguimos o seu roteiro, passamos em frente ao lugar e continuamos... Não vimos nada... Perguntando a um vendedor ambulante: "- Volta dois quarteirões aí que vocês passaram em frente!". Contornamos a quadra, e voltamos. Menos de 5 minutos depois, já estámos na repecção do hotel preenchendo os documentos necessários para a hospedagem... Nesse momento vale ressaltar as "perguntas" que Senador fez a atendente!!! Prefiro não citar, pois ele pode não gostar muito... :)

Piracicaba - São Paulo - Bristol Center - 18:20
O hotel era maravilhoso. O flat reservado era sencional. Muito bem decorado e muito bem arrumado. Da varanda do hotel podíamos ver uma parte de Piracicaba e mais uma vez constatamos o tamanho do lugar... Muito grande e também muito bem desenvolvido. Deitamos um pouco para descansar da "longa viagem"! Pelo Google Earth deu 964,88 Km (em linhas retas), mas creio devemos ter andado mesmo uns 1.300 Km, visto as "shits" feitas em São Paulo capital.



Piracicaba - São Paulo - 19:30
Resolvemos dar uma volta na cidade para jantar e também para já descobrir aonde era a UNIMEP, local do evento! Assim, no outro dia, já poderíamos ir direto e sem complicações. Mais algumas informações e seguimos para a famosa Rodovia do Açúcar. Passamos por alguns lugares e vimos uma placa "UNIMEP 6 KM"! Agora sim, tudo certo! Já sabíamos como chegar a UNIMEP... Agora deveríamos pegar um contorno e voltar pelo mesmo lugar, certo? Sim, era o que deveríamos ter feito, mas EU ví uma placa "PIRACICABA - CENTRO" e proferir para Senador: "- Aí... Entra aqui logo que vai dar no centro!" Entramos por esse caminho e de fato fomos parar no centro de Piracibaca! O que fomos descobrir logo em seguinda é que o centro de Piracicaba é gigantesco e, mais uma vez, nos perdemos pela cidade! Anda pra lá, vira aqui, pergunta ali, se informa lá e nada... Roda, anda, vira, curva, volta e nada... Pára numa farmácia, pede informação, roda mais e mais e continuamos literalmente perdidos! Aí me lembrei que da varanda do Bristol eu tinha visto uma placa do Mc'Donalds e então começamos a procurar o mesmo! Achando o Mc'Donalds, seria mais fácil achar o hotel. E roda e roda e roda atrás do tal do Mc'Donalds e nada... Paramos num posto para pedir informação e fomos descobrir que lá em Piracicaba, além da loja no Shopping, existia mais 2 Mc'Donalds pela cidade... Putz! E agora? Pegamos mais informações no posto! Vira ali, volta por aqui, segue reto até um trevo, contorna o mesmo, vai em frente... Roda, roda, roda e nada... E isso tudo com Senador balangando: "- Tá vendo? Você é f*d*! Deveríamos ter voltado pelo mesmo caminho e blá blá blá..."! Até que, subitamente eu vi o tal do posto em obras que tinha visto quando chegamos... Finalmente, achamos a rua certa para entrar! Entramos por ele e aí então achamos o caminho... Um pouco a frente, passamos por um lugar que já tínhamos cruzado várias vezes! " - Que m*rd*... Passamos várias vezes por aqui e não percebemos que era a avenida pela qual chegamos...". Lamentamos várias vezes do ocorrido e voltamos para o hotel. Chegando lá, pedimos informação de uma boa Pizzaria e nos indicaram uma praticamente ao lado do hotel. Rapidamente fomos até lá e comemos um maravilhoso rodízio de pizza! Cara, aquilo que é pizza, não essa massa horrível que servem aqui com um monte de coisa em cima... Detonamos uns 10 pedaços de pizza cada um de tudo quanto é sabor e voltamos felizes e satisfeitos para o hotel. Banho tomado e fomos dormir. Antes disso, ainda conhecemos 3 pessoas que também eram do Espírito Santo, de Vitória e um deles me reconheceu na hora!!! :) Ele já tinha morado em Linhares e trabalhado na mesma escola em que eu lecionava...


Sábado, 29 de Julho de 2006 - O Evento

Piracicaba - São Paulo - 07:30 AM
Acordamos por volta das 7:30, descemos e tomamos um farto café da manhã no hotel. Podemos perceber várias pessoas que também estavam ali para o evento. É aquela história: programadores e analistas conhecem outros da espécie só de olhar! Pela forma como um deles usava avidamente seu PocketPC, percebe-se o que fazem e em que trabalham... Fomos dali direto para a Unimep e chegamos por volta das 8:30! Fomos ao credenciamento, pegamos nossos crachás e ficamos por ali, em frente aos teatros conversando com outros participantes! Conhecemos também o Cantu! Carlos Cantu é o cara que organiza o evento. Aproveitei e perguntei: "Cantu, você mora aqui em Piracicaba?" Ele confirmou que sim e então entendi por que o evento é ali! Fica meio fora-de-mão pra quem vem de longe, como nós e até outras pessoas! Mas pelo fato dele morar ali e também pela facilidade em consegui a estrutura para o evento fazem com que o FDD sempre aconteça em Piracicaba. Bom, ainda ficamos ali visitanto alguns stand's e pegando materiais promocionais (folders, blocos, canetas, mouse-pads, etc)! No stand da Borland (na verdade era uma empresa representando a Borland) preenchemos um cadastro pra participar de um sorteio do Delphi 2006 no final do evento. Ficamos mais um tempo ali e fomos para o teatro principal, onde aconteceria a abertura oficial do FDD. Carlos Cantu abriu o evento já com uma notícia muito ruím, que deixou várias pessoas tristes. Ann Harrison, uma verdadeira sumidade em Firebird, tinha sido deportada do Brasil para o EUA! Segundo ele, havia um problema com o visto dela e a Polícia Federal não deixou ela nem dar um telefonema. Uma tremenda de uma sacanagem... Mas tudo bem, havia outros palestrantes e o dia prometia ser bem agitado.

Piracicaba - São Paulo - Unimep - 09:00 AM

Como haveria várias paletras simultâneas, eu e Senador resolvemos que um assistiria uma palestra enquanto que o outro iria em outra... Assim, depois, poderíamos conversar sobre o que vimos e trocar informações. Fui para "Produtividade com Firebird e Ferramentas da Microsoft", palestra ministrada por Emerson Facunte enquanto que Senador foi assistir "Firebird e Datawarehouse", ministrada por José Alberto Rodrigues Filho. A palestra de Emerson Facunte foi bem interessante e muito bem apresentada. Ele falou de algumas ferramentas da Microsoft, como o C# Express e nos moutrou outros horizontes. Diversas vezes ele questionva a platéia sobre assuntos relacionados a desenvolvimento! Isso deixou a palestra bem animada e muito interativa. Logo em seguida, fui assistir "Delphi e Firebird - Velocidade, Segurança e Disponibilidade", ministrada por Bruno Lichot, "o cara da Borland", como era chamado pelo povo. Senador foi assistir "Novidades do Firebird 2.0", ministrada por Alexandre Benson Smith. Novamente, a palestra com o "cara da Borland" foi muito produtiva. Foi nos apresentado algumas soluções envolvendo o Delphi 2006 e o Firebird numa aplicação 3 camadas e mais diversas informações. Em seguida, eu e Senador fomos assistir "Técnicas Avançadas com o IB-Expert", ministrada pelo alemão Holger Klemt, presidente da HK Software! Para quem não conhece, o IB-Expert é uma super ferramenta para administração de bancos Firebird. E usando a sua própria ferramenta, ele nos apresentou vários recursos da nova versão, além de técnicas de uso da mesma para explorar ao máximo o Firebird.

Piracicaba - São Paulo - Unimep - 13:00 PM
Pausa para o almoço! Almoçamos dentro do campus universitário mesmo! Apesar de achar que o restaurante não se preparou para receber tanta gente, a comida não estava ruím... Confesso que já comi coisas melhores, mas se o lançe era matar a fome mesmo, então estava tudo certo! Mais uma vez Senador comeu numa velocidade incrível! Eu estava na metade do meu prato e ele já havia terminado. Saímos do restaurante e voltamos para o teatro e ficamos ali conversando com as pessoas das mais longícuas regiões do Brasil! Gente do Paraná, de Brasília, da Bahia e os assuntos eram os mais variados: de Delphi a SQL! :) Era muito bom ver, ouvir e conversar com tanta gente sobre algo que você gosta. Era "Select" pra lá, "ClienteDataSet" para cá, conexão com o banco, formas de melhorar a produtividade, componentes utilizados, etc... Só por isso a viagem e o evento já valeram a pena...

Piracicaba - São Paulo - Unimep - 14:30 PM
Recomeçam as palestras. Fomos assistir "Segurança no Firebird", ministrada por Luiz Paulo O. Santos e a gama de informações ministradas também foi excelente! Podemos descobrir e nos informar de diversas ferramentas para tornar o Firebird mais seguro e também evitar dores de cabeça. Logo em seguida, veio a paletra "Corrupção em Banco de Dados: tipos, razões e reparação", ministrada pelo russo Alexey Kovyazin. O palestrante me pareceu um excelente conhecedor do Firebird e uma coisa legal que ele fez foi fazer uma analogia de um banco de dados com o corpo humano. Mostrou diversos detalhes do porque acontecem corrupções em bancos de dados. Também falou das ferramentas de reparação que sua empresa desenvolve, a IBSurgeon!

Piracicaba - São Paulo - Unimep - 17:00 PM
Mais uma pausa para o Coffee Break e fomos brindados com um buffet de salgadinhos, pães, refrigerantes e mais uma vez, muito papo sobre Firebird, Delphi, SQL, técnicas de programação, etc...

Piracicaba - São Paulo - Unimep - 17:30 PM
Depois veio o alemão Holger Klemt novamente falando sobre "Performance e Gargalos no Firebird"! Na minha humilde opinião, essa foi a melhor palestra! O cara mostrou alguns recursos da nova versão do Firebird, mais precisamente sobre performance e creio que todo mundo ficou de cara!!! Exemplos foram mostrados e a cada resultado o pessoal ficava eufórico. Informações realmente úteis que ajudam muito os desenvolvedores foram apresentadas.
Finalmente, veio o encerramento oficial e o sorteio de brindes. Detalhe: o sorteio era feito por um programinha em Delphi desenvolvido pelo Cantu e em dado momento, houve um erro no programa e a platéia caiu no pé do Cantu! Foi muito legal... Como eu nunca ganho nada em sorteios mesmo, a torcida ficou para Senador ganhar alguma coisa! Não preciso nem dizer que o cara é um pé-frio também... Não ganhamos nada! Quer dizer, ganhamos sim: CONHECIMENTO! E isso é o que realmente importa...

Piracicaba - São Paulo - Unimep - 19:45 PM
Novamente pegamos a Rodovia Anhaguera com destino a São Paulo. Pegamos a estrada errada novamente, voltamos um pouco para Piracicaba e quando percebemos o equívoco, já estávamos novamente chegando a cidade! Demos meia volta e seguimos (agora na estrada certa) rumo a Sampa. O retorno foi mais tranquilo, pois a noite já não tinha tanto tráfego e a velocidade se mantinha constante em 110 Km/h! O problema novamente veio a acontecer quando estávamos chegando a São Paulo. Precisávamos chegar ao Aeroporto antes das 10:30, pois era o horário que a locadora fechava. Tínhamos que entregar o carro, para poder no outro dia embarcar cedo. Paramos numa lanchonete tipo uma "Pamonharia" que tinha tudo que você podia imaginar envolvendo milho. De bolo a suco! Enquanto eu comia um bolinho de carne e tomava um suco horrível de laranja, Senador novamente questionava os presentes informando que queríamos ir para Congonhas e novamente várias explicações eram dadas. Saímos dali, pegamos a Marginal Tietê e fomos em frente. Nenhuma placa, nenhuma informação indicava para onde deveríamos seguir. Paramos novamente em um posto e estava um frio desgraçado! Pelos termômetros da cidade, a temperatura estava batendo na casa dos 13 graus. Pegamos mais uma informação no posto e deveríamos passar, segundo as frentistas (era só mulher), três viadutos e antes de passar o quarto, deveríamos quebrar para a direita e seguir em frente! Não preciso nem dizer que fizemos tudo o que elas falaram e nada! Mais a frente, paramos em outro posto e novas informações e novamente perdidos. E agora ainda tínhamos o tempo contra nós! Num dado momento, Senador pegou uma rua super escura... "Danou-se!!!" Pensei com meus botões. Paramos numa lanchonete meio fundo de quintal e pegamos uma informação que foi mais ou menos correta. Mais uma vez, percebi Senador louco no volante. Pensávamos que o trânsito estaria mais tranquilo. Só que São Paulo não pára e novamente aquela confusão toda. Até que finalmente conseguimos achar a Rua 23 de Maio, que é a do Aeroporto. Mas antes disso, Senador fez uma manobra num dado momento que dessa vez eu fui a loucura... Ele também pirou comigo, porque ele disse que "sabia o que estava fazendo!". Passado isso, foi só seguir em frente e conseguimos chegar até a locadora. Entregamos o carro e partimos para o Aeroporto para o acerto final no escritório da agência. Depois partimos num frio danado em direção ao hotel que tínhamos reservado na chegada. Chegamos, se hospedamos, tomamos um bom banho quente (pelo menos o tal do hotel tinha um bom chuveiro) e nos entregamos aos braços de morpheu.

Domingo, 30 de Julho de 2006 - O Retorno

São Paulo - Hotel Congonhas - 05:00 AM
O interfone do hotel toca informando que estava na hora de acordar. Assim o fizemos, se arrumamos (eu num frio danado) e partimos para o Aeroporto.

São Paulo - Aeroporto - 06:20 AM
A bordo do voô 4199 da Gol, partimos para Vitória. O voô foi super tranquilo! Vim conversando animadamente com uma senhora, professora aposentada da Ufes (não sei o nome dela) sobre as casualidades da vida. Uma senhora muito simpática e com uma excelente conversa. Chegamos a Vitória por volta de 7:40 da manhã.

Vitória - Aeroporto - 07:40 AM
Após ligar para o meu grande amigo Animal de Chifre, fomos para sua casa, onde fomos muito bem recebidos e até tomamos um café da manhã!

Vitória - Casa do Animal - 09:00 AM
Saímos de Vitória com destino a Linhares. Na viagem fomos conversando sobre o evento e relembrando os "melhores momentos"...

Linhares - Minha Casa - 11:40 AM
Finalmente, chego em casa sã e salvo! :)

Considerações Finais

Mesmo com todos os contratempos, creio que a FDD foi muito bom para nós. Tivemos um dia inteiramente de informações sobre a nossa principal ferramenta de trabalho. Além disso, os contatos que tivemos com outras empresas e outros desenvolvedores também foi de grande valia, pois além de novos amigos, também iremos fazer grandes parcerias profissionais. Também não posso deixar de dizer que foi um excelente passeio em si. Conhecemos novos lugares, novas cidades e novas pessoas. Com certeza estaremos presente na quarta edição do evento e também quem sabe em outros eventos que a Borland oferecerá a comunidade!

3 comentários:

Helena disse...

Nossa! seria um diário de bordo, se tivesse sido escrito "à bordo"..rss. dá próxima vez compre um mapa.
bj

Fernanda Cápua disse...

Caraca...isso é que se chama aventura!!!!!!! Se fosse eu com vc no trânsito doido de Sampa teria borrado as calças. Bjs

Cristiano Contreiras disse...

Uia! isso que é um tour de verdade!