quarta-feira, 22 de novembro de 2006

Wake up, John! Wake up ...


A minha alegria já não mais existe... Hoje morreu (ou acabou?) algo que me foi especial durante algum tempo, efêmero eu sei, mas foi... Algo que nunca existiu, a não ser no íntimo dos meus desejos e na minha mais singela imaginação e que gostei bastante! Gostei de uma mentira e talvez de alguns contos e histórias. Fui nada mais que apenas alguém, um co-adjuvante camuflado no meio de palavras e pactos ensaiados num obscuro teatro com alguns protagonistas. Fui só mais um... Afinal, um sonho nada mais é do que isso mesmo, um sonho, irreal e bom até o inevitável momento em que acordamos e sentimos o gelo da realidade. Fui inocente e ao mesmo tempo cego por acreditar em algo que nunca existiu e que talvez pudesse ser. Dizem que uma mentira passa a ser verdade depois que alguém acredita nela e será que em algum momento eu acreditei mesmo? Fui o maior de todos os tolos por não aceitar o que eu sempre soube, porque isso era simplismente incompatível com minhas alegrias e meus desejos. E acredite, meus sentimentos eram maiores, bem maiores do que qualquer verdade escondida, por mais estranha e impossível que fosse.
Essas são as últimas palavras neste terceiro e último ato...
Cai o pano!
Wake up, John! Wake up ...

Nenhum comentário: